Honda celebra 20 anos de produção no Brasil


Há exatos 20 anos, a Honda iniciava um novo capítulo em sua história e expandia suas operações no país com a inauguração de uma fábrica de automóveis na cidade de Sumaré, interior de São Paulo.

A mudança da condição de importadora para fabricante local de automóveis ocorreu em 06 de outubro de 1997, com 20 unidades do Honda Civic, então em sua sexta geração, saindo diariamente da linha de montagem.

Para construir uma trajetória de sucesso, contínuos investimentos foram realizados com o objetivo de aumentar a capacidade de produção e melhorar a eficiência dos processos. Como resultado, atualmente, 550 automóveis são produzidos diariamente entre os modelos Civic, Fit, City, HR-V e WR-V e a produção acumulada se aproxima de 1.700.000 unidades.

Alcançar esse patamar e estar entre as principais montadoras nacionais só se tornou possível graças ao time de colaboradores envolvidos na missão de entregar produtos que excedam as expectativas dos clientes. De 400 funcionários, no início das operações produtivas, a empresa conta com 3.500 colaboradores ativos nos dias atuais, todos capacitados a trabalharem de acordo com os exigentes parâmetros globais de qualidade Honda.


Primeira fabricante de automóveis a se instalar na região, a Honda Automóveis do Brasil (HAB) liderou o processo de estruturação de uma rede de fornecedores, a princípio, com 33 empresas, algumas das quais, iniciaram suas atividades no Brasil para atender exclusivamente a fabricante japonesa e, assim, também compartilham as comemorações por duas décadas de atuação nacional. Como resultado, as cidades do entorno tiveram ganhos sociais e econômicos, ao passo que suas atividades industriais e setor de serviços foram incrementadas.


Modelos

O primeiro modelo de fabricação nacional da Honda foi o Civic, em 1997. Desde então, já saíram da linha de produção mais de 690 mil unidades do modelo. Em 2016, o Civic Geração 10 começou a ser produzido no Brasil, após a maior e mais extensa renovação em toda sua história, que resultou na criação de um automóvel mais sofisticado, espaçoso, seguro e tecnológico, com eficiência e desempenho.

Em 2003, entrou em produção o Honda Fit, sendo eleito líder de vendas na sua categoria. Sua produção acumulada chega a mais de 631 mil unidades.

Seis anos depois, em 2009, chegou ao mercado o City, que não ficou atrás dos ótimos resultados dos seus pares e rapidamente conquistou a posição de sedã compacto mais desejado do Brasil. Até o momento, mais de 215 mil unidades do modelo levam o selo de fabricação nacional.


Mais tarde, em 2015, outro lançamento veio revolucionar o mercado: o HR-V, que no mesmo ano, respondeu por 1/3 das vendas do line-up de automóveis sendo o SUV mais vendido de 2015 e 2016, eleito pelo mercado como o “Carro do Ano” e escolhido como a “Melhor Compra”. São 136 mil unidades já produzidas.

Em 2017, chegou o novo SUV da Honda, o WR-V, que teve seu projeto liderado pelo time de Pesquisa e Desenvolvimento da Honda Automóveis do Brasil. Em sete meses, 15 mil unidades saíram da linha de produção.


Centro de Pesquisas e Desenvolvimento

Em 2014, a empresa inaugurou seu novo Centro de Pesquisas e Desenvolvimento de Automóveis, em Sumaré (SP), um dos principais centros de desenvolvimento de produtos Honda fora do eixo Japão/Estados Unidos, com o objetivo viabilizar o desenvolvimento de modelos que atendam às demandas específicas do mercado brasileiro, além de aumentar o índice de nacionalização de componentes e tecnologias. O espaço conta com aproximadamente 300 colaboradores que atuam nas áreas de Engenharia, Compras Pesquisa & Desenvolvimento.

Honda Energy do Brasil

Um importante marco na história da Honda Automóveis se dá no campo ambiental. Com o objetivo de reduzir as emissões de CO2 das atividades fabris e, assim, incorporar de energia limpa e renovável ao processo produtivo de seus automóveis, foi inaugurado em 2014 o primeiro parque eólico da Honda Energy do Brasil, pioneiro no setor automotivo nacional e no grupo Honda no mundo.

Localizado em Xangri-Lá, no Rio Grande do Sul, o empreendimento já gerou mais de 199.000 MWh e evitou a emissão de mais de 16 mil toneladas de CO2 no meio ambiente. A geração do parque eólico supre as atividades da fábrica de automóveis da Honda, os escritórios da marca nas cidades de Sumaré e São Paulo, além do centro logístico da LSL Transportes, empresa coligada, localizada em Paulínia, responsável pelas operações de movimentação de materiais e abastecimento das linhas de montagem.

O projeto ressalta a mensagem positiva sobre a viabilidade de processos produtivos sustentáveis, em linha com os esforços que buscam concretizar uma sociedade livre do carbono.


Investimentos

No acumulado dos 20 anos de produção nacional, a Honda Automóveis já investiu no País cerca de R$ 4,7 bilhões.

À medida que se preparava para receber a produção de novos modelos, investimentos em equipamentos e ferramentais foram realizados com o intuito de tornar a linha mais flexível, ampliar a capacidade produtiva e aumentar a produtividade e eficiência dos processos.


Para fabricar o HR-V, por exemplo, além do ferramental exclusivo para o modelo, os principais investimentos foram a implementação de uma nova linha de prensas com 3 máquinas  e 5 robôs para o aumento da capacidade; a inclusão de 13 novos robôs no departamento de hemming (processo em que as chapas estampadas são agregadas para construir peças como porta-malas, porta e capô) e 16 no departamento da solda; além da automação de processos de transporte de partes da carroceria na linha e da montagem da suspensão.

A linha de pintura de parachoques ganhou 5 novos robôs para ampliar a produção. A montagem de motores recebeu uma nova linha com aproximadamente 12 equipamentos de altíssima geração. Recentemente, essa mesma linha foi reestruturada para, além de atender a produção da fábrica de Sumaré, exportar motores para o México.


Os investimentos envolvem ainda a construção de um novo laboratório para realizar testes de emissões de poluentes e assegurar a conformidade dos veículos produzidos com as regulamentações do País. Neste laboratório é feita medição de emissões de exaustão de veículos, abrangendo testes de produção e para homologação; medição de emissões evaporativas; consumo de combustível; torque e potência; e durabilidade de catalisadores.

Entram na conta dos aportes investidos, os recursos direcionados à reestruturação do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento, construção do Parque Eólico Honda Energy e da segunda unidade de produção de automóveis, na cidade de Itirapina (SP).


Fotos: Honda/Divulgação

Comentários