Ford Ka zera em último teste de batida do Latin NCAP



A sétima série de resultados de 2017 do Programa de Avaliação de Veículos Novos para a América Latina e o Caribe, o Latin NCAP, foi apresentada hoje com um resultado desapontador para o Ford Ka. Nos últimos testes, o Ka ofereceu um rendimento particularmente baixo a respeito da proteção no impacto lateral, motivo principal da baixa qualificação de estrelas conforme protocolos de avaliação do Latin NCAP vigentes desde 2016 em diante.

O Ford Ka, terceiro veículo mais vendido no Brasil, também produzido aqui, ganhou zero estrela quanto à Proteção do Ocupante Adulto e três estrelas para a Proteção do Ocupante Infantil. O modelo foi originalmente avaliado em um impacto frontal em 2015, conseguindo quatro estrelas para o ocupante adulto. O Latin NCAP fez o teste de impacto lateral visando estimar o resultado de acordo com os novos protocolos de avaliação (2016). O Ka apresentou um desempenho pobre no teste de impacto lateral, mostrando níveis altos de lesões no peito do ocupante adulto, penetração profunda do pilar B no habitáculo e abertura da porta. O Ka não proporciona dispositivos de absorção de energia de impacto lateral em sua estrutura nem no painel interior nas portas. Levando em conta os resultados dos testes, o Ka não foi aprovado conforme a norma básica de proteção contra impactos laterais das Nações Unidas (UN95), obrigatória na Europa desde 1995.



A proteção infantil foi aceitável no teste de batida. Contudo, o modelo não oferece cintos de três pontos em todas as posições, a sinalização de ancoragens ISOFIX é deficiente e não conta com a possibilidade de desligar o airbag do passageiro na hora de instalar um Sistema de Retenção Infantil (SRI) olhando para trás, motivos adicionais para a redução da pontuação. A porta traseira direita foi aberta no teste de impacto lateral, expondo os passageiros crianças a riscos maiores.

Alejandro Furas, Secretário Geral do Latin NCAP, disse:

"Estamos surpresos de que, mais uma vez, um fabricante tão importante como a Ford venda um carro zero estrela na América Latina, que, inclusive, falharia nos testes básicos da norma de proteção contra impactos laterais da ONU. Os compradores de automóveis merecem muito mais que esse resultado inferior ao padrão mundial da parte das companhias que sabem, bem ao certo, como produzir automóveis bem mais seguros. Esse resultado ruim deveria servir como uma lição para os governos de toda a região, já que alguns fabricantes ainda não conseguem proporcionar níveis mínimos de segurança voluntariamente. Portanto, o Latin NCAP faz questão de solicitar a todos os governos da América Latina a adoptar, de forma urgente, a certificação padrão do teste de batida frontal e lateral da ONU e que, enquanto isso, os testes do Latin NCAP sejam obrigatórios para todos os carros. Com isso, todos os consumidores terão informação clara sobre a segurança oferecida pelo veículo que desejam comprar".

Foto: Ford/Divulgação
Vídeo: Latin NCAP/Divulgação

Comentários