Cinco dicas para passar a marcha do carro corretamente


Na autoescola recebemos muitas informações teóricas a respeito de direção. E na parte prática também aprendemos a colocar o carro para andar, como proceder em algumas situações, estacionar, entre tantas outras coisas o uso correto das marchas dependendo das ocasiões. Atividades que precisamos ir aperfeiçoando conforme o tempo. 
Parece estranho, mas há vícios no dia a dia em relação ao uso do câmbio que atrapalham o fluxo do trânsito, desgastam peças essenciais do carro que são caras, consomem mais combustível e podem até mesmo causar acidentes. Mas como saber se você está fazendo algo de errado? Veja algumas dessas práticas:
1 — Aumentar marcha com giro muito baixo
Força o motor e demora para evoluir. Pode causar o que chamamos de "engasgos ou solavancos" desnecessários. Ao contrário do que alguns pensam, consome mais combustível. Cada marcha tem um espaço determinado relacionado com o giro de aceleração. E dos carros são maiores que dos ônibus, por exemplo.
2 — Esticar a marcha até o limite ou além dele
Diminui a vida útil de todas as peças relacionadas com câmbio e motor, porque o uso constante de alta rotação, exige e aumenta mais a temperatura do propulsor. Também causa desconforto para quem está andando de carona com você.
3 — Na subida
Tudo depende da acentuação do aclive e da potência do motor. Geralmente carros de 130 cv para cima enfrentam mais fácil esse "obstáculo". Não é difícil perceber se o carro está perdendo força, você sabe até mesmo quando ele vai perder potência ao observar a estrada. É importante conhecer também o seu carro, saber o comportamento dele. 
Neste caso, você identifica que vai precisar reduzir a marcha, então logo já realize sem medo o procedimento para não perder força e velocidade demais. Na subida, a queda de velocidade é muito rápida, isso pode causar acidente se tiver outro carro atrás de você.
4 — Na descida
É só deixar no ponto neutro (mais conhecido como "ponto morto") e ir descendo, certo? Não. O motorista não economiza combustível e gasta excessivamente pastilhas e discos de freio. Use o freio motor, em alguns casos mais acentuados precisamos usar a segunda marcha, mas geralmente usa-se a terceira ou quarta se o declive é moderado. Essa prática é aconselhável para auxiliar o freio.
5 — Pise até o final do curso da embreagem 
A embreagem é responsável por transmitir a rotação do volante do motor para as engrenagens da caixa de velocidades (câmbio). Logo o uso correto desse mecanismo interfere diretamente nas marchas. É importante pisar até o limite do pedal para fazer corretamente o percurso do câmbio de um ponto para outro. 
Por esta razão é bom verificar se está tudo certo com a embreagem, caso contrário ela pode ajudar a danificar sua caixa de marchas. Ela é composta de discos e pratos sincronizados. Se seu carro está fazendo aquelas famosas "arranhadas" constantemente ao trocar de marcha, procure um mecânico para identificar o problema. Ah! E não descanse o pé nela.


Comentários